Notícias

Inovações na indústria química garantem maior penetração na construção civil

A química trouxe para o mercado produtos de maior valor agregado, com ganho de qualidade à execução e alternativas mais sustentáveis. Além de conseguirem alcançar todo o território nacional, as empresas do setor fecharam 2016 com resultado positivo e têm boas expectativas para este ano

Na construção de uma única casa à um conjunto residencial, a química está presente em diversos canteiros de obra espalhados pelo País. O potencial de crescimento do mercado de químicos para construção é comprovado em números, só no Brasil, o faturamento líquido da indústria química em 2016 somou US$ 113,5 bilhões, alta de 1,4% comparado a 2015, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim).  

Outra prova da relevância deste mercado para a construção civil é o crescimento da participação de grandes players do segmento, como a BASF, Bandeirante Brazmo, Aditex e MC Bauchemie, em feiras e encontros do setor, como o Concrete Show South America, para ampliar a capilaridade de seus produtos no mercado. “A indústria de produtos químicos desempenha um papel importante na formulação e produção de matéria-prima utilizada na construção civil, com opções que oferecem qualidade e ganho de tempo na execução de obras, além de alternativas mais sustentáveis”, afirma o diretor do portfólio de Infraestrutura da UBM Brazil, promotora do evento, Renan Joel.  

A coordenadora de marketing da Bandeirante Brazmo, Priscila Lima Cavalcanti, avalia que a construção civil está cada vez mais buscando inovações na indústria química, seja para melhoria de desempenho, de custo ou até mesmo soluções para adaptações nos novos modelos construtivos. “É possível considerar que a indústria química está muito presente nesse segmento, e na concepção da Bandeirante, essa participação tende a aumentar cada vez mais”, afirma.  

“Observamos uma grande transformação no mercado de químicos para a construção, sobretudo nos segmentos de argamassa, pré-moldados de concreto e gesso. Hoje os fabricantes oferecem produtos com valor agregado muito maior que anos atrás e o número de empresas aumentou exponencialmente alcançando todo o território nacional”, destaca o gerente geral da Aditex, Leonardo Dias.

Para Danilo Silva, engenheiro e gerente de vendas de Sistemas Construtivos da BASF, o País apresenta inúmeras oportunidades para o crescimento do setor de químicos. “Ainda temos um déficit habitacional significativo e uma infraestrutura precária, que precisa ser desenvolvida”, afirma Silva. A empresa alemã BASF investe em soluções mais eficientes e sustentáveis como a linha de hiperplastificantes que aumentam a eficiência da hidratação do cimento, reduzindo o uso de água em até 40% em relação aos processos convencionais, além da diminuição nas emissões de CO2.

O engenheiro da BASF explica que, o percentual de consumo de concreto usinado (concreteiras e pré-moldados) utilizado nas construções residenciais é muito baixo. “Ainda predomina a cultura da autoconstrução com o concreto produzido em obra e sem uso de aditivos. Estes produtos (aditivos) poderiam agregar benefícios ao consumidor tais como menor consumo de cimento, maior resistência e maior tempo de manuseio”, afirma.

Mercado em crescimento -- Em termos de negócios, as empresas do setor avaliam 2016 como um bom ano, apesar da crise econômica e política. “A MC expandiu a atuação regional com a aquisição da empresa chilena Bautek e no Brasil continuamos atuantes nos mercados da indústria de concreto, infraestrutura, indústria e crescendo no mercados de varejo através da linha de produtos Argatex, adquirida em 2015. Ainda no Brasil, iniciamos a maior expansão já feita no País com o investimento em nossa planta de São Paulo de uma nova linha de produção de argamassas secas totalmente automatizada e que deverá entrar em operação agora em meados de 2017”, revela o diretor executivo da MC Bauchemie Brazil e diretor Regional LATAM, Jaques Pinto.  

Já o gerente geral da Aditex, Leonardo Dias, afirma que a empresa teve no ano de 2016 o melhor desempenho desde a fundação. “Nos últimos cinco anos, lançamos de três à quatro novos mercados por ano, melhoramos em eficiência os aditivos da nossa linha e aumentamos o controle e qualidade na nossa fábrica. Em 2017, nosso Centro Técnico passou a ter umidade e temperatura controlados conforme a Norma Brasileira, o que significa um valor a mais para o nosso cliente que pode economizar em ensaios técnicos em laboratórios de certificação”, ressalta Dias.

Na Bandeirante Brazmo o clima é de otimismo com os resultados alcançados no ano passado e as perspectivas para este ano. “Apesar da crise no País, a Bandeirante conseguiu reverter as dificuldades atuando de forma agressiva com um portfólio variado, além de um suporte técnico diferenciado, conseguindo assim manter uma boa representatividade no mercado. Para 2017, estamos otimistas agregando mais produtos em nossa linha e investindo em inovações no mercado químico para construção civil”, destaca a coordenadora de marketing da empresa.

O Concrete Show South America, único evento na América Latina a reunir a cadeia produtiva do concreto, acontece de 23 a 25 de agosto, no São Paulo Expo. A feira de negócios irá reunir marcas expositoras de mais de 40 segmentos que oferecem soluções desde equipamentos para terraplenagem, canteiros de obras e projetos estruturais até tecnologias de ponta para a cadeia produtiva do concreto, serviços e acabamento.

Fonte: Conteúdo Empresarial

 

ubm white 2

   Conectando pessoas e o mercado global

 

UBM é a maior empresa organizadora de eventos B2B no mundo. Nosso profundo conhecimento e paixão pelos setores da indústria que servimos nos permitem criar experiências valiosas onde as pessoas atingem seu sucesso. Em nossos eventos, as pessoas criam relacionamentos, fecham acordos e crescem seus negócios.
Ler Mais 

 

Filiada à     

 ubrafe branco

Newsletter

Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
E-mail Inválido